segunda-feira, 18 dezembro, 2017 - 02:49
Capa » Índice - Ordem Cronológica » Menina que sofreu bullying na escola dá o troco em rapaz 10 anos depois
Menina que sofreu bullying na escola dá o troco em rapaz 10 anos depois

Menina que sofreu bullying na escola dá o troco em rapaz 10 anos depois

Uma jovem de 22 anos da Universidade de Oxford (Inglaterra) resolveu dar o troco em um rapaz que zombava dela anos antes, no colégio.

Gordinha na época de escola, ela chegou a ser chamada de “besta humana” por um grupo de meninos.

Anos depois, ela reapareceu magra e bonita. Um dos garotos simplesmente não a reconheceu e chamou-a para sair.

Menina que sofreu bullying na escola dá o troco em rapaz 10 anos depois

Foto atual da jovem

Louisa então marcou um encontro com o menino, mas não apareceu.

Em vez disso, deixou uma carta com a garçonete para que entregasse a ele, junto com uma foto sua da adolescência.

Ela postou a foto e a carta em seu perfil no Twitter, no dia 05.nov.2014, e a história acabou chamando a atenção nas redes sociais.

“Olá, me desculpe por não jantar com você esta noite. Lembra-se quando eu era gorda e você tirava sarro do meu peso? Não? Eu me lembro. Eu passei os três anos seguintes comendo menos que uma maçã por dia. Então decidi pular o jantar. Lembra da minha monocelha que você zoava? As pernas peludas que você achava nojentas? Lembra como todos os dias, por três anos, você e seus amigos me chamavam de besta humana? Talvez você não se lembre. Ou você não teria olhado para mim oito anos depois e me julgado ‘comível’ o suficiente para me tratar como um ser humano. Pensei em mandar isso para você como um lembrete. Da próxima vez que você pensar em mim, pense nesta garota da foto. Porque foi ela que acaba de te dar um ‘bolo’.”

Fonte: Folha de S.Paulo – F5 | Foto 1: Reprodução/Twitter e Foto 2: Reprodução/Facebook
http://f5.folha.uol.com.br/voceviu/2014/12/1558939-menina-que-sofreu-bullying-na-escola-da-o-troco-em-rapaz-10-anos-depois.shtml

Sobre Hamilton Kage

Hamilton Kage

Consultor de TI, fisioterapeuta e curioso, mas não necessariamente nessa ordem.