quinta-feira, 14 dezembro, 2017 - 14:45
Capa » Brasil » Descoberta de 400 geoglifos na Amazônia ajuda a desvendar mistério
Descoberta de 400 geoglifos na Amazônia ajuda a desvendar mistério

Descoberta de 400 geoglifos na Amazônia ajuda a desvendar mistério

O avanço nas pesquisas arqueológicas revelou a existência de cerca de 400 desenhos gigantes espalhados pela Amazônia, os geoglifos — valetas de cerca de dez metros de largura e entre dois e três metros de profundidade feitas em formato geométrico preciso, normalmente círculos ou quadrados.

Descoberta de 400 geoglifos na Amazônia ajuda a desvendar mistério

A descoberta ensina mais sobre a forma como foram feitos e os hábitos dos povos que os construíram há mais de 1.000 anos. Pelo que se sabe, os geoglifos foram feitos por índios Aruaques que habitaram a Amazônia séculos atrás para servir de campo para rituais religiosos.

Os primeiros desenhos datariam da era Antes de Cristo. A maioria, porém, foi feita entre os séculos 1 e 10.

“Eles não tinham instrumentos de metal, faziam provavelmente com pás de madeira, mas tinham precisão matemática”, afirma Denise Schaan, da UFPA (Universidade Federal do Pará) e coordenadora das pesquisas dos geoglifos. A pesquisadora explica que existem desenhos semelhantes em Portugal, Espanha e Inglaterra, mas que não têm nenhuma ligação entre si.

Com tamanhos entre 100 a 300 metros de largura, os desenhos foram descobertos em 1977 pelo pesquisador Ondemar Dias, do Instituto de Arqueologia Brasileira do Rio de Janeiro. Hoje, sabe-se que eles se estendem por uma área 200 km entre sul do Amazonas, leste do Acre, oeste de Rondônia e parte da Bolívia.

Fonte: UOL Notícias/Carlos Madeiro | Foto: Agência Acre/Divulgação
http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2015/04/20/descoberta-de-400-geoglifos-na-amazonia-ajudar-a-desvendar-misterio.htm

Sobre Luciano Abe

Jornalista, fotógrafo, videorrepórter, documentarista, cineasta, mestrando e blogueiro com diplomas e certificados de cursos e especializações nessas áreas pela PUC-SP, Academia Internacional de Cinema (AIC) e Senac-SP.
Foi professor no Senac-SP e na editoria de treinamento da Folha de S.Paulo. Jornalista profissional diplomado (Mtb: 0068126/SP)