terça-feira, 23 maio, 2017 - 07:48
Capa » Brasil » Homem amputado é multado por estacionar em vagas de deficientes no RS
Homem amputado é multado por estacionar em vagas de deficientes no RS

Homem amputado é multado por estacionar em vagas de deficientes no RS

Ao estacionar o carro em uma vaga para deficientes físicos na cidade gaúcha de Canoas (17 km de Porto Alegre), na região metropolitana, Régis Quadros, 32 anos, que não tem as duas pernas e necessita de próteses para caminhar, não esperava que fosse multado. Ao retornar para o veículo, cerca de 30 minutos depois, ele se deparou com uma agente de trânsito que lhe apresentou a autuação.

Mesmo de bermuda e com as próteses à mostra, Quadros recebeu a multa de R$ 293 e 7 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Inconformado com o ocorrido, ele publicou uma foto do momento da autuação em seu perfil no Facebook, o que ganhou grande repercussão nas redes sociais.

Segundo ele admite, seu carro não estava devidamente identificado como sendo autorizado a estacionar naquele tipo de vaga. “Mas eu esperava bom senso da agente de trânsito”, reclama Quadros. Ele conta que utiliza a vaga semanalmente há pelo menos dois meses. O local fica entre seu banco e o consultório dentário que frequenta.

“Há uns quatro meses, sofri um acidente de carro e a placa de identificação, que fica no painel, acabou se extraviando. Desde então, vinha deixando para solicitar uma nova identificação, mas acabava esquecendo”, conta.

Apesar de reconhecer sua falha, ele lamenta a intransigência da fiscal. “Quando voltei, a agente estava lá me esperando. Pensei que quando ela visse que eu sou deficiente, não fosse me multar. Mas nem quis me escutar. Só queria me dizer que eu estava errado e tinha que ter a credencial.”

A discussão entre Quadros e a servidora foi fotografada pelo cunhado do motorista. Na imagem, é possível ver as próteses de Quadros.

Outro lado

Procurada, a Secretaria de Transportes e Mobilidade de Canoas defende que não houve abuso ou falta de bom senso por parte da agente de trânsito. “Existe regulamentação nacional que determina a exigência de uma identificação no automóvel, que mostre que ele é de uma pessoa com deficiência”, explicou a pasta através de nota enviada por sua assessoria de imprensa.

“Tecnicamente, o agente de trânsito encontrou um veículo sem a credencial estacionado em uma vaga exclusiva para uma pessoa com deficiência, o que configura infração de trânsito. Houve diálogo com o condutor quando o mesmo retornou ao carro, no entanto a autuação já havia sido feita”, ressalta o comunicado.

O que não consta na nota, mas que foi explicado à reportagem por telefone, é que a agente não poderia cancelar a autuação por tratar-se de um procedimento eletrônico – que não permitiria a correção por parte da fiscal. O que poderia ser feito era uma observação na multa para o caso de Quadros recorrer.

Conforme o Secretário Municipal de Transporte e Mobilidade, Ademir Zanetti, o trabalho dos agentes de trânsito na cidade tem como prioridade a orientação dos motoristas para o uso correto das vagas especiais – e o bom senso sempre deve ser levado em consideração. “O fiscal, quando encontra um veículo sem credencial estacionado na vaga especial, primeiro aguarda alguns minutos e verifica se o motorista não se encontra nas proximidades, para orientá-lo como proceder. A prefeitura é muito cobrada por idosos e pessoas com deficiência para que a fiscalização ocorra de maneira rigorosa”, afirma.

Mas Quadros promete recorrer e procurar reparação. “Fui desmoralizado. É óbvio que sou deficiente e tenho que ser isentado dessa multa. Eu nunca infrinjo a lei. Mas tocaram na minha ferida. Não bastasse o que já sofri. Fiquei dez meses na cadeira de rodas já podendo caminhar, mas o poder público não me dava as próteses”, conta, irritado.

Técnico em telecomunicações, ele sofreu um acidente em 2011, quando fazia manutenção em uma rede, em cima de um poste. Ele recebeu uma forte descarga elétrica, cuja corrente entrou pelo seu braço direito, atravessou o corpo e saiu pelo pé do mesmo lado, destruindo a perna. A esquerda ficou com sérias sequelas. No hospital, a opção foi partir para a amputação dos dois membros na altura da metade da tíbia (canela). Depois de muita fisioterapia e musculação, ele reaprendeu a caminhar, agora com as próteses. Há um ano ele trabalha como projetista de redes, emprego que lhe permite sustentar seus dois filhos.

Fonte: UOL/Lucas Azevedo | Foto: Reprodução/Facebook
https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/01/20/no-rs-homem-amputado-e-multado-por-estacionar-em-vagas-de-deficientes.htm

Sobre Luciano Abe

Jornalista, fotógrafo, videorrepórter, documentarista, cineasta, mestrando e blogueiro com diplomas e certificados de cursos e especializações nessas áreas pela PUC-SP, Academia Internacional de Cinema (AIC) e Senac-SP. Foi professor no Senac-SP e na editoria de treinamento da Folha de S.Paulo. Jornalista profissional diplomado (Mtb: 0068126/SP)